14 de novembro de 2019

Dica de Leitura: O endereço mais difícil do mundo: o lugar do outro

Por psicóloga clínica Larissa Pedrosa Rossiter

 

Você realmente conhece as pessoas com as quais convive? Procura escutá-los(as) entende-los(as) e ajudá-los(as)? Sabe o que sentem e o que pensam? Um dos lugares mais difíceis que podemos nos colocar é o lugar do(a) outro(a), porque o caminho até lá é cheio de JULGAMENTOS e EGOÍSMO.

Temos uma dificuldade em nos colocar no lugar das outras pessoas, sejam pequenas situações cotidianas, até grandes problemas, que poderiam ser resolvidos com mais simplicidade se nós soubéssemos usar a empatia. Nós CONDENAMOS e atiramos muitas pedras naquilo que não entendemos, sem pararmos para tentar compreender as coisas por um ponto de vista diferente.

Esse é um movimento quase que involuntário do ser humano: procuramos criticar quase tudo a nossa volta. Principalmente quando nossos pensamentos entram em conflito com os de outras pessoas. Quando não somos capazes de entender alguma coisa procuramos desvaloriza-las com crítica, um meio ideal de facilitar nossa tarefa.

A empatia permite a compreensão das emoções e atos alheios, sem ter necessariamente que concordar com os outros. Esta virtude também requer aprender a afastar-se do “eu” (MEUS pretextos, MINHAS razões, MINHAS ideias, MEUS pensamentos) para saber pensar a partir da ótica do outro. Isso leva à ampliação das percepções e evita que julguemos os outros fechando-nos em um ponto de vista egoísta. A empatia tem o poder de mudar o mundo e trazer paz onde existe conflitos.

Ela é a melhor escolha para sermos melhores e estarmos perto das pessoas que realmente importam para nós. Ter empatia não é fazer pelo outro aquilo que você gostaria que fizessem por você. Ter empatia é fazer pelo outro aquilo que ele(a) precisa. É ter sensibilidade suficiente para perceber as necessidades dele(a), tirando completamente o foco do seu próprio umbigo. Por um mundo com mais empatia, bom senso, respeito e boas palavras. Que a gente se coloque mais no lugar do outro e pense bem antes de falar. É sempre bom lembrar que existe um mundo inteiro dentro de cada um, e tocar nesse solo sagrado é um ato de responsabilidade. QUE SEJAMOS SERES HUMANOS MAIS HUMANOS, mais gentis, mais generosos.

 

14 de novembro de 2019

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *