27 de maio de 2022

Luta pela recomposição salarial: Bolsonaro não confirma reajuste de 5%

 

Entidades dos servidores públicos federais, como a Fenajufe e o Sindjus-AL, estão na luta pela recomposição salarial de 19,99% do governo federal. O governo Bolsonaro apontou suposto reajuste linear de 5% a todos os servidores públicos federais a partir de julho, visando a desmobilizar as categorias dos serviços públicos federais.

Em sua live semanal, Bolsonaro voltou a afirmar que não tem nada garantido sobre o reajuste, alegando mais cortes nos ministérios de R$ 7 bilhões. O presidente mantém seu descaso com as reivindicações dos servidores, que acumulam perdas inflacionárias que ultrapassam os 19,99%.

Há dinheiro para recomposição salarial. O Brasil teve superávit primário recorde de R$ 101,8 bilhões em janeiro deste ano seria suficiente para custear todo o reajuste salarial, além disso a Petrobrás deu lucro líquido de R$ 44,5 bilhões no primeiro trimestre deste ano.

Enquanto isso, a inflação do mês de abril ultrapassou a marca de 1%, a mais alta em 26 anos, dados do IBGE. O Banco Central prevê inflação acumulada perto de 7,5% em 2022,  o que elevará as perdas dos servidores a cerca de 30%.

Desde o início do ano, que os servidores iniciaram o processo de mobilização, paralisação e greve, após protocolar pauta de reivindicações no Ministério da Economia, não houve diálogo e nenhuma mesa de negociação foi posta. O governo nesse período recebeu os dirigentes em duas oportunidades, contudo, nas duas, deixou clara a indisposição para negociar.

O ministro da Economia, Paulo Guedes, afirmou na quarta-feira (25) em Davos, que o aumento de 5% para o funcionalismo público federal é o único possível e que seria factível dentro do atual Orçamento. Até o momento, no entanto, houve apenas uma consulta do Ministro da Casa Civil, Ciro Nogueira, feita aos Poderes Judiciário e Legislativo sobre o interesse em ser contemplado na revisão geral das remunerações e subsídios da Administração Pública Federal — tendo como resposta manifestação positiva do Supremo Tribunal Federal (STF) e do Congresso Nacional.

A Fenajufe e os sindicatos, como o Sindjus-AL, manifestam a intensificação da mobilização em defesa da recomposição salarial em todas as frentes. No dia 31 deste mês, acontecerá um grande ato pela recomposição salarial no Auditório Nereu Ramos em Brasília.

Por conta do ano eleitoral, o assessor econômico da Fenajufe Luiz Alberto dos Santos destaca o prazo de até o dia 4 de julho, ou seja, 180 dias antes do fim do mandato do presidente – data limite para sanção da lei concessiva de qualquer tipo de reajuste.

Calendário:

30/5

14h: Ato pela recomposição da indenização de transporte dos Oficiais de Justiça Avaliadores Federais – em frente ao CJF (local a confirmar);

31/5

09h: ato político no espaço do servidor com caminhada até o bloco P (Ministério da Economia);

14h: Grande ato pela recomposição salarial das servidoras e servidores públicos, no Auditório Nereu Ramos da Câmara dos Deputados;

1/6

No STF entrega de memoriais e materiais da Fenajufe para cada Ministro e suas assessorais a respeito da campanha salarial; e à tarde, no parlamento, e/ou TCU, para encaminhar questões de interesses da categoria, priorizando os projetos do Senado de desjudicialização da execução, NS Já e quinquênios para todo funcionalismo público.

Com informações da Fenajufe e do Sindjus-AL

 

27 de maio de 2022

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *