18 de janeiro de 2022

Janeiro Roxo é o mês de prevenção e combate à hanseníase

Mais de 30 mil novos casos de hanseníase são diagnosticados todos os anos no Brasil, segundo dados da OMS

 

Janeiro é o mês dedicado ao combate à hanseníase, um momento de reunir esforços para conscientizar sobre a gravidade da doença e a importância do diagnóstico precoce e do tratamento adequado.

A campanha Janeiro Roxo foi criada em 2016, e tem o último domingo do mês como data símbolo, que é o Dia Mundial de Combate e Prevenção da Hanseníase.

A hanseníase é uma doença infecciosa, causada pela bactéria Mycobacterium Leprae, também conhecida como bacilo de Hansen (em homenagem à Gerhard Hansen, o médico e bacteriologista norueguês descobridor da doença, em 1873). O bacilo se reproduz lentamente e o período médio de incubação e aparecimento dos sinais da doença é de aproximadamente cinco anos, informa a Organização Pan-Americana da Saúde (Opas).

De acordo com o Ministério da Saúde, o Brasil é o segundo país com maior número de casos de hanseníase no mundo, atrás apenas da Índia. Conforme o documento Estratégia Global para Hanseníase 2016 – 2020, da Organização Mundial de Saúde (OMS), os países Índia, Brasil e Indonésia notificaram, por ano, mais de 200 mil novos pacientes acometidos pela doença.

Maceió tem atualmente 83 casos em tratamento. O atendimento a esses pacientes é feito por profissionais capacitados, em 56 unidades de saúde que têm o Programa de Combate e Controle da Hanseníase. Para o esclarecimento de dúvidas ou informações na Capital alagoana é através do telefone (82) 3312-5584.

É importante buscar o tratamento o quanto antes, pois sem o diagnóstico, a doença pode ocasionar lesões neurais, acarretando em danos irreversíveis de alto poder incapacitante, principalmente, responsável pelo estigma e discriminação às pessoas acometidas pela doença.

SINAIS E SINTOMAS

  • Manchas (esbranquiçadas, amarronzadas e avermelhadas) na pele com mudanças na
  • Sensação de fisgada, choque, dormência e formigamento ao longo dos nervos dos membros
  • Perda de pelos em algumas áreas e redução da transpiração
  • Inchaço e dor nas mãos, pés e articulações
  • Dor e espessamento nos nervos periféricos
  • Redução da força muscular, sobretudo nas mãos e pés
  • Caroços no corpo
  • Pele seca
  • Olhos ressecados
  • Feridas, sangramento e ressecamento no nariz
  • Febre e mal-estar geral

ONDE SE TRATAR

Se apresentar um ou mais desses sinais e sintomas, procure ajuda médica. O posto de saúde mais próximo de sua casa ou uma equipe de saúde da família. Neles, é possível fazer exames e receber orientações de como se tratar!

PARENTES E AMIGOS

Em caso de diagnóstico confirmado para hanseníase, oriente as pessoas com as quais mantém contato próximo e regular (familiares, amigos, colegas de trabalho) a também irem ao médico para serem examinadas.

SIGA O TRATAMENTO

Quem tem diagnóstico para hanseníase deve começar a tomar os medicamentos prescritos de imediato. Ao fazer isso, o paciente deixa de ser transmissor da doença. E atenção: é importante não abandonar o tratamento ou deixar de tomar os remédios.

Com informações da Sociedade Brasileira de Dermatologia – SBD, Agência Brasil e Gazetaweb

18 de janeiro de 2022

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *