30 de setembro de 2021

Entidades realizam Caravana a Arapiraca para protestar contra a reforma administrativa

 

As centrais sindicais, como a CSP-Conlutas, sindicatos, como o Sindjus-AL, movimentos sociais, Frente Brasil Popular e Povo Sem Medo realizaram a Caravana Popular em Arapiraca, na segunda-feira (27), para protestar contra a reforma administrativa, PEC 32.

A Caravana Popular teve o objetivo de defender os serviços públicos. A mobilização fez parte da luta contra a reforma administrativa, PEC 32, que acaba com os serviços públicos e retira os direitos dos servidores públicos.

As entidades reforçam o dia de mobilização nacional em 2 de outubro pelo Fora Bolsonaro, em defesa dos serviços públicos, contra as privatizações e o arquivamento por completo da reforma administrativa (PEC 32).

No protesto desta segunda (27), os manifestantes entregaram panfletos, mostrando os deputados federais alagoanos que se posicionam contra os trabalhadores e a população, apoiando a reforma administrativa e o fim dos serviços públicos.

O coordenador Jurídico do Sindjus-AL, Paulo Falcão, ressaltou que o governo federal faz o cessamento do direito do trabalhador, como foi a Reforma Trabalhista, para que os trabalhadores não tenham acesso à Justiça do Trabalho. “O trabalhador, que é explorado do seu trabalho, quanto é demitido, não tem acesso aos direitos na Justiça do Trabalho”, revela.

O sindicalista destacou que a mobilização nas ruas é para denunciar os ataques aos direitos trabalhistas da classe trabalhadora, dos servidores públicos e da população em geral. Citou que o governo Bolsonaro atinge as aposentadorias dos atuais e próximos servidores, deixando também desprotegidos e sem a garantia de aposentadoria os trabalhadores públicos. Criticou a reforma administrativa, PEC 32, que privatiza os serviços públicos, citando o encarecimento das contas de energia elétrica e água, com a privatização da Eletrobrás e da Casal em Alagoas.

“O governo Bolsonaro quer privatizar os Correios, a Petrobrás e todas as nossas empresas públicas, que têm os nossos recursos públicos e tributos garantidos para entregá-los ao grande Capital e ao mercado financeiro. Com a PEC 32, planejam privatizar a Educação, a Saúde, a Segurança Pública, a Justiça e todos os serviços públicos. Agora com a gasolina cara, alimentação também, querem que a população pague pela escola dos filhos, o posto de saúde, tudo isso com apoio dos deputados federais alagoanos Arthur Lira, Nivaldo Albuquerque, Severino Pessoa, Pedro Vilela, Marx Beltrão, Isnaldo Bulhões, e Sérgio Toledo”, denúncia.

30 de setembro de 2021

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *