21 de junho de 2020

Governo e Congresso voltam a ameaçar corte salário dos servidores públicos

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM/RJ), e o governo Bolsonaro voltam a ameaçar com corte de salário os servidores públicos, após aprovarem o congelamento de salários e despesas de pessoal por 18 meses, com a Lei Complementar 173 sob justificativa de ajudar financeiramente os estados e municípios na pandemia do novo coronavírus.

Provocado pelo Bolsonaro, o presidente da Câmara dos Deputados afirmou que o parlamento estaria disposto a debater uma redução temporária nos salários de todo o funcionalismo público federal para bancar a prorrogação do auxílio emergencial de R$ 600,00.

A deputada federal Carla Zambelli (PSL-SP), aliada do governo Bolsonaro, está coletando assinaturas para uma PEC, que pretende cortar em 25% os salários dos servidores públicos. Para que a proposta comece a tramitar são necessárias 171 assinaturas de deputados federais. Carla se soma ao presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), e ao governo federal na intenção de corte de salários dos servidores públicos.

É importante estar atento às todas as medidas contrárias aos servidores públicos, como as PECs 186, 187 e 188, que retiram direitos e reduzem salários, além da reforma administrativa. Essas propostas, por enquanto, estão paradas, mas poderão ser postas na ordem do dia.

Medidas que realmente ajudariam durante a crise sanitária e financeira é a suspensão da dívida pública, que leva mais de R$ 1 trilhão do orçamento da União para o sistema financeiro por ano, além da taxação das grandes fortunas. Essas propostas não são colocadas pelo Executivo e Legislativa nem levadas ao debate com a população.

Os servidores do Judiciário Federal devem ficar atentos e participar das mobilizações convocadas pelo Sindicato em defesa dos direitos, do serviço público e contra os desmandos do governo Bolsonaro.

21 de junho de 2020

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *