20 de novembro de 2019

Dia da Consciência Negra: Luta por igualdade de direitos e contra a violência

O Dia da Consciência Negra, dia 20 de novembro, é um momento de reflexão sobre a importância do povo negro e da cultura africana no Brasil. Da luta dos quilombolas, a população negra ainda sofre com a violência, discriminação e omissão de direitos.

 

O Atlas da Violência de 2019, estudo do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) e do Fórum Brasileiro de Segurança Pública, mostra que 75,5% das vítimas de homicídio no País são negras, maior proporção da última década. Alagoas, terra de Zumbi dos Palmares, é um dos locais mais perigosos do país para negros.

 

História

O Dia da Consciência Negra, comemorado em 20 de novembro, em homenagem a Zumbi dos Palmares, líder do Quilombo dos Palmares, que se constituiu como abrigo não só de negros, mas também de brancos pobres, índios e mestiços extorquidos pelo colonizador.

Os quilombos funcionavam como núcleos habitacionais e comerciais, além de local de resistência à escravidão, já que abrigavam escravos fugidos de fazendas. No Brasil, o mais famoso deles foi Palmares.

O Quilombo dos Palmares existiu por um período de quase cem anos, entre 1600 e 1695. No Quilombo de Palmares (o maior em extensão), viviam cerca de vinte mil habitantes. Nos engenhos e senzalas, Palmares era parecido com a Terra Prometida, e Zumbi, era tido como eterno e imortal, e era reconhecido como um protetor leal e corajoso.

O Quilombo dos Palmares foi defendido no século XVII durante anos por Zumbi contra as expedições militares que pretendiam trazer os negros fugidos novamente para a escravidão.

20 de novembro de 2019

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *